atividade vitalizadora

Fonte de vitalidade: idosos aderem ao pilates para manter saúde em dia

Foi-se o tempo em que restavam aos avós atividades pacatas como tricotar, jogar gamão e afins. Hoje, eles estão cada vez mais ativos, levando vantagem sobre muitos garotões por aí.

Não é à toa que a melhor idade venha aderindo em massa ao pilates, programa de condicionamento físico que proporciona múltiplos benefícios. O praticante pode, simultaneamente, trabalhar a flexibilidade, incrementar a consciência corporal e ganhar massa muscular. A atividade é de baixo impacto e personalizada, já que as turmas costumam ter, no máximo, três alunos.

A bailarina Alice Becker é uma das responsáveis pela introdução do método no Brasil. Ela travou contato com os ensinamentos de Joseph Pilates há 18 anos, nos Estados Unidos, enquanto se recuperava de uma grave contusão no joelho.

Os resultados promissores levaram-na a abrir uma empresa especializada em cursos e equipamentos. Segundo ela, o método é perfeito para o público maduro.

— Com a idade, as pessoas tendem a perder o equilíbrio, elas ficam com medo de cair e acabam restringindo seus movimentos. Os exercícios são pensados de forma a ajudar a superar os desafios de cada um. Aos poucos, recupera-se a confiança — avalia.

Funcionalidade

Outra vantagem, segundo Alice, é que os treinos simulam atividades do dia a dia.

— Os movimentos têm enfoque funcional: o aluno aprende a se sentar de maneira correta, a agachar, enfim, a realizar as funções normais, conquistando um corpo que execute bem essas funções.

João Bosco, 69 anos, concilia treinos regulares de pilates com os gramados de futebol. Orgulhoso de suas atividades, o aposentado relata que a prática lhe rendeu força física e uma melhor postura.

— Estou com porte de militar. Além disso, senti melhoras no meu equilíbrio e hoje eu atravesso a rua com mais segurança comemora. Ele buscou o método para combater — dores no joelho que vinha sentindo.

— Fortaleci a musculatura da coxa – isso me ajudou no futebol e me deixou mais ativo para brincar com os meus netos —  detalha.

O educador físico Luís Fernando Jardim, que trabalhou com musculação durante 13 anos, dedica-se ao ensino de pilates há dois.

— É um trabalho feito de forma global, enquanto na musculação os exercícios são segmentados. A riqueza dessa técnica está em conceber o corpo como um todo e observar a individualidade de cada aluno —  resume.

Foco na respiração

No pilates, os exercícios são feitos de forma precisa. Durante os movimentos, é necessário manter o foco na respiração e na contração constante dos músculos abdominais.

— Quando você aciona essa caixa de força, são recrutados os músculos responsáveis pela estabilidade do corpo —  ensina o professor Fábio Pires. Com o progresso da consciência corporal, as pessoas aprendem a usar os músculos na medida certa, previnindo lesões.

fonte: http://www.clicrbs.com.br

Pilates para idosos

 

 
A atual busca por atividades físicas que promovam maior segurança para seus praticantes é constante, observando-se que esta preocupação pode ocorrer com maior frequência no público adulto e idoso. Dentre as diferentes ofertas de atividade física para o idoso que se encontram hoje nas academias, centros de convivência, clubes, escolas de dança, centros comunitários e/ou associações desportivas, enfim, espaços onde existe a proposta de atividade física, independente da modalidade executada, o Método Pilates vem ganhando amplitude e maior divulgação nesses ambientes de lazer, esporte e educação.
Uma aula de Pilates bem orientada por um profissional habilitado, é praticamente inexistente a possibilidade de lesões ou dores musculares, pois o impacto é zero”.
 
Segundo uma entrevista realizada em um site especializado em saúde, justificou que a receptividade dos idosos frente ao Método Pilates se deve ao “respeito aos limites do corpo evita lesões e desgaste físico: a respiração correta aumenta a capacidade pulmonar e melhora a circulação; e o trabalho individualizado permite corrigir desvios posturais, trabalhando mais determinados músculos que outros. Isso é bom para todos, desde o esportista que não quer se machucar, até quem está se recuperando de um derrame”. A proposta do Método Pilates pode ser de melhoria na qualidade de vida de seus praticantes, através de uma condição otimizada de uma nova postura, desenvolvendo maior mobilidade, equilíbrio e agilidade, embasando-se numa tonificação muscular e em um ganho de flexibilidade e elasticidade, atingidas através de seus exercícios específicos. Contudo, a comprovação dos efeitos reais para os praticantes deste método se faz relevante, se considerarmos toda a importância da atividade física no cotidiano do idoso que necessita de um planejamento específico para essas atividades e de profissionais qualificados.
 
Partindo do pressuposto de que a população idosa está crescendo, alguns autores afirmam que no Brasil o número de idosos ( 60 anos de idade) passou de três milhões em 1960, para 7 milhões em 1975 e 14 milhões em 2002 (um aumento de 500% em quarenta anos) e estima-se que alcançará 32 milhões em 2020. E, também sugere que temos de encontrar os meios para: incorporar os idosos em nossa sociedade, mudar conceitos já enraizados e utilizar novas tecnologias, com inovação e sabedoria, a fim de alcançar de forma justa e democrática a equidade na distribuição dos serviços e facilidades para o grupo populacional que mais cresce em nosso país.
 
O envelhecimento humano como uma designação geral para um complexo de manifestações, que leva a um encurtamento da expectativa de vida com o aumento da idade. Sendo uma alteração irreversível da substância viva em função do tempo, dando manifestações de desgaste e um processo biológico, que leva à limitação das possibilidades e adaptação do organismo e ao aumento da possibilidade de morrer, reduzindo,
 

assim a capacidade de desempenho físico e mental do indivíduo. E, finalmente seria a consequência das alterações que os indivíduos demonstram, de forma característica, com o progresso do tempo da idade adulta até o fim da vida.

Alguns especialistas em gerontologia e geriatria, às vezes, referem-se a pessoas entre 65 e 74 anos como idosos jovens, àquelas com mais de 75 de idosos velhos, e as com mais de 85 anos como idosos mais velhos. Contudo, esses rótulos podem ser mais úteis quando utilizados para se referirem à idade funcional.

O conceito de velhice e as vantagens e desvantagens dessa etapa da vida foram verificados em um estudo no ano de 2003 com idosos participantes do Programa Conviver executado pela Secretaria Municipal de Bem Estar Social da Prefeitura Municipal de Cuiabá/MT. As desvantagens de ser velho apareceram em maior número de depoimentos, havendo uma grande ênfase nos fatores econômicos e de saúde, que implicam em limitações e prejuízos no dia-a-dia. O envelhecimento traz uma perda de resiliência não apenas fisiológica, mas também emocional e psicológica. Assim o idoso tende à depressão diante da doença por um conjunto multifatorial de determinantes como: menor resiliência emocional para suportar a enfermidade do que o jovem, sejam elas associadas à terceira idade, crônicas ou neurológicas, perdas e um distanciamento de suas referências no mundo moral, cultural, religioso e social do idoso.

A partir da reflexão deste fenômeno, cabe aos diferentes profissionais da área da saúde que estudam o envelhecimento humano, enquanto processo biológico, social, econômico, cultural e psicológico estarem atentos para a necessidade de independência do idoso.

Principalmente, durante a realização de atividades corriqueiras, especificamente, as atividades de vida diária. Estas atividades têm o seu valor essencial para a autonomia do idoso, respeitando assim, primordialmente, a sua condição de vida e valorizando a dignidade humana.
O surgimento de um “novo-idoso”, com auto-suficiência e capacitado a administrar as suas tarefas diárias poderá ser uma conquista desta população e também dos profissionais envolvidos nesse planejamento para estratégias de qualidade de vida na velhice.
Envelhecer saudavelmente faz parte de um amplo processo de aprendizagem, porque a velhice está condicionada por normas e costumes que influenciam as diversas formas de agir dos sujeitos. Aprender a envelhecer é um processo que não começa depois dos 60 anos. Ele começa ainda na infância, porque é nessa etapa da vida que começam a interiorizar os sistemas normativos. Daí a ênfase dada aos trabalhos que integram gerações porque são importantes fontes de aprendizado.
Para a promoção de um envelhecimento ativo e saudável, a prática de atividade física serve como estratégia para uma melhor qualidade de vida. O que fortalece a necessidade de manutenção quando possível, de uma vida ativa ao longo do processo de envelhecimento humano.

Segundo o Estatuto do Idoso, baseado na Lei número 10.741/2003, no que se refere o artigo 20 do capítulo V, “o idoso tem direito a educação, cultura, esporte, lazer, diversões, espetáculos, produtos e serviços que respeitem sua peculiar condição de idade”. O âmbito da atividade física para os idosos está centrado em quatro itens que são definidos nos seguintes termos: prevenção, manutenção, reabilitação e recreação. Qualquer pessoa, independente da idade, que realize atividade física o faz com um desses objetivos, ou para melhorar e manter a saúde, ou para sentir-se bem, ocupar o seu tempo livre, o qual redunda em um melhor bem-estar psíquico. Realizando atividade física, atinge-se uma melhora física, psíquica e sócio-afetiva. Tudo isso faz com que a qualidade de vida melhore.
As possibilidades positivas da atividade física na velhice, se justificam pelo consenso que, grande parte dos mecanismos implicados no processo de envelhecimento que são facilmente modificados pelo estilo de estilo de vida e pelos hábitos higiênicos e dietéticos adotados ao longo da vida. De tal maneira que quando se cumprem as recomendações destinadas a melhorar a saúde da população, pode-se atrasar e, inclusive, evitar problemas típicos da terceira idade. Recomendações como se movimentar e permanecer ativos, a mobilidade é a chave para manter-se jovem, são importantes, pois nada pior do que a imobilidade para envelhecer rapidamente.
Os benefícios da atividade física para idosos são inúmeros, esses benefícios abrangem desde o campo físico até o social: aumento da capacidade aeróbia; aumento na ventilação voluntária; melhora na flexibilidade; melhora na resistência muscular localizada; aumento do conteúdo de minerais ósseos; diminuição da resistência vascular; melhor tolerância à glicose; redução da concentração de lipídios; melhora do estado de ânimo, aumento da vitalidade e melhora significativa da qualidade de vida.
A elaboração de um programa de atividade física para a terceira idade deve levar basicamente em consideração o preparo, para que o idoso possa cumprir suas necessidades básicas diárias impostas pelo cotidiano.
A prescrição de exercício para idosos aponta que, os princípios gerais da prescrição se aplicam aos adultos de todas as idades. As adaptações relativas ao exercício também são semelhantes às dos outros grupos etários. A melhora percentual no VO2máx. de pessoas idosas é comparável àquela relatada na população mais jovem.

Lamentavelmente, a inatividade física é mais comum no idoso que em qualquer outro grupo etário e pode contribuir para a perda de independência na idade avançada. Os componentes particularmente importantes da prescrição do exercício incluem aptidão cardiovascular, treinamento de resistência e flexibilidade.
O processo de envelhecimento traz alterações da força, portanto a força máxima de uma pessoa, geralmente bem acima das demandas diárias no início da vida, diminui de forma constante com o envelhecimento. Por exemplo, a capacidade de mudar da posição sentada para a posição em pé é comprometida em torno dos 50 anos e, por volta dos 80 anos, essa tarefa torna-se impossível para algumas pessoas. Os adultos mais velhos são tipicamente capazes de participar de atividades que exigem apenas quantidades moderadas de força muscular.
O Método Pilates “é um sistema de exercícios que possibilita maior integração do indivíduo no seu dia–a–dia. Trabalha com o corpo como um todo, corrige a postura e realinha a musculatura, desenvolvendo a estabilidade corporal necessária para uma vida mais saudável e longeva”. Em suma, o método Pilates foi criado para se conseguir um corpo saudável, uma mente saudável e uma vida saudável.

O Método Pilates com uma só palavra diriam que é movimento, com duas palavras diriam movimento com controle, e se tivessem de fazê-lo com três palavras seriam força, elasticidade e controle. Finalmente, “uma boa condição física é o primeiro requisito para ser feliz”, esta frase de Joseph Hubertus Pilates poderia resumir perfeitamente a filosofia do método criado por ele. Uma boa condição física que se consegue fazendo intervir não só o corpo, mas também a mente e o espírito, com o objetivo final de realizar as múltiplas tarefas da nossa vida diária com prazer e energia.
O Pilates baseia-se no fortalecimento do centro de força, expressão que denomina a circunferência do tronco inferior, a estrutura que suporta e reforça o resto do corpo. O segundo pilar do método é aplicação dos seis princípios básicos fundamentais: concentração, controle, centro, fluidez nos movimentos, respiração e precisão. Cada exercício foi concebido para integrar estes princípios. É necessário incorporar os princípios de uma forma correta e trabalhar os conceitos fundamentais até fluírem de forma natural e se converterem em hábitos.
Além dos exercícios realizados em decúbito ventral e dorsal, sentado, ou em pé, Pilates também criou equipamentos específicos compostos por molas a fim de desenvolver o seu método. Os equipamentos foram elaborados para auxiliar a execução dos exercícios de solo, além de restabelecer as principais fraquezas das pessoas, como a falta de conexão com o centro de força (cuja indicação mais evidente são os músculos abdominais “saltados” para fora), costelas abertas em excesso devido às retificações e compensações na região torácica, falta de mobilidade entre os segmentos vertebrais, restrições de movimentos na articulação coxo-femoral, rigidez, encurtamento dos músculos flexores do quadril e extensores da coluna lombar, excessiva tensão nas áreas da cintura escapular, e dificuldade para dissipar esta tensão.

Os equipamentos de Pilates são considerados muito criativos e originais, apesar da aparência arcaica que apresentam e de alguns nomes assustadores como Guilhotina e Cadeira Elétrica. Não podemos deixar de lembrar que eles foram desenvolvidos durante a Primeira Guerra Mundial, e talvez por esse motivo a inspiração tenha vindo destes antigos aparelhos de tortura. Os aparelhos mais utilizados são: reformer, cadillac ou trapézio, cadeiras, barrel e unidade de parede. Além de acessórios utilizados nos espaços que oferecem o Método Pilates, como: magic circle, bolas suíças (que não foram utilizadas originalmente por Pilates), elásticos, borrachas e halteres.

A pesquisa médica vem esclarecendo cada vez mais a importância dos músculos estabilizadores. Se precisarmos retirar um livro de uma prateleira alta, não utilizamos primeiro a mão nem o ombro, mas os músculos posturais profundos, os quais estabilizam a espinha lombar, fazendo com que uma vértebra não se afaste muito de suas vizinhas. Esses músculos são o transverso do abdômen e um músculo posterior profundo denominado multífido. Eles formam um colete ou cinto natural de força em torno do centro do corpo de forma que o movimento possa ocorrer com facilidade, estabilidade e segurança.
O desequilíbrio entre a função dos músculos extensores e flexores do tronco, é um forte indício para o desenvolvimento de distúrbios da coluna lombar. Num estudo com o objetivo geral de analisar os aspectos motivacionais que levam a prática do Método Pilates e identificar se estes aspectos estariam relacionados a fatores da saúde, sociais e/ou estéticos. O principal aspecto motivacional, foi a busca por uma melhora na qualidade de vida. A melhora nas habilidades físicas e o fator “aliviar tensões e relaxar”. Os fatores que tiveram um maior percentual de respostas no item muito importante estão relacionados aos aspectos estéticos e de saúde.
É importante enfatizar durante as aulas à importância de manter um modo de vida ativo, um envelhecimento saudável, onde os níveis de independência na velhice estão intrinsecamente envolvidos com o estado de saúde geral, para isto, a atividade física é uma ferramenta valiosa para a manutenção da saúde e uma melhora da qualidade de vida em seu aspecto emocional e social.

condicionamento

Condicionamento:
“em dez sessões se sente a diferença, em vinte sessões se vê a diferença e em trinta sessões o corpo está modificado”

Josef Pilates

O Condicionamento Físico por meio do Método Pilates na Idade mais Feliz

Envelhecer é um processo lento e progressivo. Ninguém envelhece da noite para o dia. Como estas mudanças acontecem de forma contínua e não eventual, é necessário adaptar-se a elas durante toda a vida.

No princípio do século passado, a expectativa de vida da população era de 35 anos. Atualmente, calcula-se que, nos países desenvolvidos, seja de 74 anos para homens e 82 para mulheres. No Brasil, segundo pesquisa feita em 2000, a expectativa de vida é de 64 anos para homens e 72 para mulheres.

A porcentagem elevada de pessoas idosas em uma sociedade constitui um índice de progresso e desenvolvimento. Ver cada vez mais idosos nas ruas é motivo de satisfação: isso representa uma vitória em relação ao tempo. Contudo, a preocupação não deve ser quantos anos a pessoa irá viver, mas, sim, de que forma esses anos serão vividos e em que estado de saúde e de espírito.

Pensamento Jovem

É importante jamais se considerar limitado. Encarar o envelhecimento de forma positiva é melhor do que qualquer creme anti-rugas. Pior do que alguém de mais idade é uma pessoa que enxerga tudo como se não houvesse solução aparente.

Exercícios

Apesar de ser um fato raro, o ser humano é capaz de chegar aos cem anos. Especialistas defendem que dentro de poucas décadas a expectativa de vida em países com bom nível de desenvolvimento na área de saúde beire os 120 anos. Tenha como prioridade ter um peso adequado e bom preparo físico. Os exercícios físicos ajudam a aprimorar o condicionamento do corpo e evitar as perdas de massa muscular. Ter um organismo com baixo índice de gordura afasta várias doenças fatais.

Cérebro Ativo

Para não esquecer algo, mantenha sua mente em constante reciclagem. Ao Praticar Pilates a mente é estimulada pela variedade de exercícios onde trabalha-se a coordenação motora e a memória pelo principio da concentração. Além disso, pode utilizar jogos e brincadeiras para exercitar seu cérebro. Fugir da rotina ajuda a desenvolver áreas do cérebro que são menos utilizadas. Procure atividades voluntárias, escutar música, cursos variados, escrever ou viajar.

Adeus, Estresse!

Cante, dance, pratique Pilates. Cultive um hobby. O cardápio anti-estresse é super variado e tem diversos tipos de opções. Procure a alternativa que melhor se enquadra no seu perfil. Ter bom humor e viver em contato com a natureza ajuda a espantar o fantasma da velhice.

Os benefícios

São muitos os benefícios proporcionados pelo Pilates aos idosos: alívio da dor, principalmente as lombares, maior percepção dos movimentos, fortalecimento muscular, maior equilíbrio, aumento da flexibilidade (musculatura mais alongada), alívio do estresse, entre outros. A grande vantagem está na melhora da auto-estima do praticante, uma vez que ele consegue realizar uma série de exercícios físicos que até então não se julgava capaz.

Mais força, maior controle muscular, melhor capacidade respiratória e melhor circulação, maior flexibilidade, musculatura mais alongada, tonificada e definida, postura mais correta, mais consciência corporal, maiores equilíbrio e coordenação, alívio do estresse, da fadiga e de dores musculares e melhor saúde das articulações são alguns dos ganhos enumerados. Tudo em benefício dos mais idosos ou de quem tem algum problema de saúde que causa limitações físicas.

Fazer Pilates não é mérito só de pessoas mais jovens. O Pilates oferece um atendimento personalizado para idosos, realizando um trabalho corporal direcionado às pessoas com limitações físicas de acordo com a idade.

O método vem sofrendo aperfeiçoamentos no mundo, mas envolvendo sempre os princípios de controle, precisão, concentração e respiração. Para Pilates, o método permitiria a autonomia dos movimentos corporais, correção da postura e o revigorar da mente.

O aumento do equilíbrio corporal também é um grande avanço, já que o idoso tem seu equilíbrio comprometido devido à idade. Tudo isso sem nenhum risco de lesão corporal, já que Pilates é um trabalho aplicado com uma grande margem de segurança, não cansa e não causa dores musculares posteriores.
O maior equilíbrio muscular possibilita realizar com mais conforto as tarefas do dia-a-dia. Dá mais energia.

O respeito aos limites do corpo evita lesões e desgaste físico; a respiração correta aumenta a capacidade pulmonar e melhora a circulação;

As aulas

As aulas podem ser: individuais ou em grupos de até três pessoas. Isso acontece para que as séries possam ser adaptadas às necessidades de cada praticante e também para que o instrutor possa dedicar atenção à qualidade dos movimentos de cada aluno. Este diferencial privilegia o idoso, já que ele pode se concentrar mais e fazer as sessões com privacidade.

O método utiliza ainda imagens visuais estimuladas pela voz do professor, despertando atitudes corporais durante a aula. Como exemplos de metáforas visuais, o professor diz ao aluno para “arredondar os braços como se estivesse abraçando uma bola” ou “ficar com a coluna ereta como se encostasse a cabeça no teto”. Os alunos colocam os músculos em ação, dirigindo a atenção para a prática correta do movimento.

pilates terceira idade

PILATES ATRAI CADA VEZ MAIS PRATICANTES DA TERCEIRA IDADE

Método ajuda a promover a respiração correta, diminui dores nas articulações, aumenta flexibilidade e o equilíbrio corporal

Segundo o IBGE, a estimativa é que, no Brasil, a quantidade de idosos aumente 16 vezes tendo por base a população das décadas de 1950 e de 2025. Um crescimento 11 vezes mais expressivo que o do restante da população. Por isso, o interesse pelos hábitos de consumo e o estilo de vida dos idosos está em pauta e surge como um assunto de interesse geral. A busca pela saúde e auto-estima deste público figura entre os temas mais discutidos pela sociedade contemporânea.

Entre as atividades físicas de preferência dos idosos se destaca o Pilates: método criado por Joseph Hubertus Pilates, que desenvolve exercícios de condicionamento físico e mental e trabalha o corpo de forma global, com equipamentos que fortalecem os músculos e articulações de maneira harmoniosa, proporcionando força, alongamento e flexibilidade.

Os exercícios são ajustados de acordo com a capacidade física de cada aluno, sempre tendo em vista os limites de cada praticante, e assim, desenvolvendo o método de forma individual e exclusiva. Para Alice Becker, pioneira na difusão e expansão da metodologia em toda a América do Sul e presidente da PHYSIO PILATES®, a atividade com resultados personalizados é a principal razão pela qual a modalidade ganha, cada vez mais, a preferência dos idosos.

Interessados em manter muito mais do que a forma física, os idosos se identificam com o Pilates por melhorar também a auto-estima do praticante, que consegue realizar exercícios que acreditava não ter mais capacidade para cumprir. Os benefícios vão além e com ajuda do método o público constata em pouco tempo de prática alívio de dores no corpo, fortalecimento muscular, melhora no equilíbrio corporal, entre outros.

Devido à grande procura pelas aulas em seus studios, a PHYSIO PILATES® criou um programa direcionado exclusivamente aos idosos, o Pilates and Active Aging – envelhecimento ativo. “A proposta do programa é proporcionar ganhos em todas as esferas da vida: física, espiritual, emocional, intelectual, profissional e social”, diz Alice Becker, presidente da PHYSIO PILATES®, instituição presente no Brasil desde 1991.

O assunto ganhou tanto destaque que será debatido na 6º Polestar International Conference e 3ª Conferência Sul-Americana Physio Pilates, conferência internacional da entidade que certifica os studios e professores do método de Pilates pelo mundo. O evento acontecerá este ano pela primeira vez no Brasil, de 1 a 3 de outubro, em Salvador, com palestras dos principais e mais importantes profissionais de Pilates do mundo. A 6º Polestar International Conference discutirá também assuntos como Pilates para distúrbios osteomusculares, Pilates na gravidez, Pilates para Corredores e Ciclistas, entre outros.

pilates idosos

 

PILATES PARA IDOSOS

 

A OMS (Organização Mundial de Saúde)diz em seu documento: “Envelhecimento ativo: Uma política de saúde”.Atualmente o Pilates esta sendo utilizado em pesquisas científicas e praticado por grandes hospitais como: Incor do HC e o Albert ,então porque ainda existe o medo de praticá-lo? Acredito que pode ser falta de informção,por este motivo leiam o texto abaixo e obtenham informações que mudarão seus hábitos de vida,para uma vida mais ativa,eu assino embaixo,(Carmona,F)

O envelhecimento é um processo natural e gera muitas mudanças no organismo como a perda de massa muscular, a redução da densidade óssea e a diminuição do metabolismo. Essas modificações fazem com que o organismo fique mais vulnerável e aumentam as chances de que a pessoa sofra com problemas nas articulações, na coluna, doenças cardíacas, entre outros males.

A prática do método Pilates, juntamente com uma dieta equilibrada, é capaz de amenizar os efeitos do envelhecimento e prevenir doenças e ainda é apontado por especialistas como uma atividade perfeita para as pessoas da 3a idade .

Alguns de seus benefícios são:

– alívio da dor,
– maior percepção dos movimentos,
– fortalecimento muscular,
– maior equilíbrio,
– aumento da flexibilidade,
– alívio do estresse,
– melhora da capacidade cardio-respiratória,
– prevenção de lesões.

O Pilates trabalha os músculos abdominais em conjunto com os músculos da coluna formando o centro de força. A ativação destes inclui o assoalho pélvico que consiste de músculos utilizados para controlar o fluxo da urina e impurezas sólidas do corpo. Fortalecer estes músculos nas pessoas idosas é importante, pois neste período a incontinência urinária e fecal é muito freqüente (Craig, 2004).

Existem importantes benefícios do treinamento de força muscular no adulto e na 3a idade:

• Melhora da velocidade de andar;

• Melhora do equilíbrio;

• Melhora da auto-estima;

• Contribuição na manutenção e/ou aumento da densidade óssea;

• Ajuda no controle do Diabetes, artrite, Doença cardíaca
.
• Diminuição da depressão.

Uma das principais causas de acidentes e de incapacidade na 3a idade é a queda que geralmente acontece por diminuição do equilíbrio, fraqueza muscular, doença cardiovascular e ingestão de alguns medicamentos.O Pilates nestes casos ajudam :

1-Fortalecendo os músculos das pernas e costas;

2- Melhorando os reflexos;

3- Melhorando as reações posturais;

4- Melhorando a velocidade de andar;

5- Melhorando a flexibilidade;

6- Mantendo o peso corporal;

7- Melhorando a mobilidade,

8- Diminuindo o risco de doença cardiovascular.

PILATES E POSTURA(rpg)

A postura incorreta, além de diminuir a auto-confiança, obstrui a respiração, tensiona os músculos e pode afetar as articulações, propensas a artrite, artrose e dor generalizada.Com o trabalho des exercícios para o power centro( músculos do abdomen, pelve e músculos lombares)da técnica do Pilates, irá propiciar ao fortalecimento e alongamento desses músculos e consequentemente a melhora da postura.

PILATES E FLEXIBILIDADE

O idoso consegue eliminar a rigidez muscular e articulare grande parte da dor mediante a prática contínua de Pilates ativando a circulação e diminuindo os espasmos musculares.

 
Postado por FlaviaFisioPilates às 13:51

pilates e envelhecimento

envelheciemnto ativo

Mais da metade dos casos de Alzheimer podem ser prevenidos

por André Lorenzetti em 27 de julho de 2011.

Do site Cérebro Melhor

De acordo com um estudo recente apresentado na Conferência Internacional da Associação de Alzheimer, mais da metade dos casos da doença de Alzheimer poderiam potencialmente ser prevenidos através de mudanças no estilo de vida e tratamento ou prevenção de condições médicas crônicas.

Pesquisas anteriores já identificavam uma série de fatores de risco para a doença de Alzheimer – incluindo doenças cardíacas e seus fatores de risco, níveis de atividade física e estímulo mental, e alimentação – mas não era claro como modificando esses fatores de risco resultaria na redução dos casos de Alzheimer.

Cientistas utilizaram modelagem matemática para calcular a porcentagem de casos de Alzheimer que poderiam ser atribuídos a esses fatores de risco modificáveis e, embora as premissas utilizadas ainda tenham que ser validadas, identificaram que sete fatores de risco contribuem para 17,2 milhões de casos no mundo todo, ou 51% de todos os casos.

O estudo conduzido pela equipe da Dra. Deborah Barnes, da Universidade da Califórnia, divulgou a proporção dos casos de Alzheimer no mundo que são potencialmente atribuíveis a cada um dos sete fatores de risco:

1 – Baixo nível educacional: 19%
2 – Fumo: 14%
3 – Inatividade física: 13%
4 – Depressão: 11%
5 – Hipertensão na meia idade: 5%
6 – Obesidade na meia idade: 2%
7 – Diabetes: 2%

Os pesquisadores ficaram surpresos com a descoberta de que fatores como a falta de atividade física e fumar contribuem para mais casos de Alzheimer do que doenças cardiovasculares, de acordo com o modelo. Mas isso sugere que mudanças de estilo de vida relativamente simples como manter a mente ativa, aumentar a atividade física e parar de fumar podem ter um impacto dramático na redução número de casos de Alzheimer ao longo do tempo.

Entradas Mais Antigas Anteriores