mais do que modismo

E esse tal de Pilates?

 
Será que o Pilates é mais uma moda que vai passar?
Responder a esta pergunta com profundidade demanda compreender a história do Método Pilates e o que o Pilates representa para o mundo neste momento.
O Método Pilates existe há cerca de 80 anos, mas se tornou amplamente conhecido nos Estados Unidos há cerca de 25 anos, quando adquiriu forte respaldo do meio médico e científico pelos seus resultados.
 
Será que o Pilates é mais uma moda que vai passar?
A divulgação do Pilates foi feita ao longo dos anos essencialmente através do boca a boca de quem teve sucesso praticando, e como reconhecimento dos resultados do trabalho pela imprensa, interessada em um método que conquista um número exponencialmente crescente de adeptos em todo o mundo – o treinamento em Pilates nos EUA cresceu 602% entre 2000 e 2006. Assim, a demanda gerada pelo Pilates não foi criada via marketing, não se trata de um boom impulsionado pela mídia.
 
Não houve nenhuma grande empresa ou grandes investimentos de publicidade para tornar o Pilates conhecido como o é hoje. O caminho é justamente o contrário: à medida que o conhecimento sobre Pilates cresceu entre profissionais e amadores, atraiu a atenção da mídia.

Vivemos um momento de grande aumento na expectativa de vida das pessoas combinado com a busca por permanecer com qualidade de vida e saúde ao longo dos anos. Os analistas internacionais da área de saúde chamam este momento de “Active Aging”, em que a atividade física é um elemento fundamental para a conquista da saúde, e que métodos alternativos à musculação e aeróbica provêem para o bem estar que se busca.
Quando analisamos este panorama em relação ao histórico de Pilates percebemos uma “coincidência histórica” inquestionável. Há uma sincronia muito grande entre o crescimento do “Active Aging” e a explosão do Pilates de forma globalizada.
Será simples coincidência? Será o Pilates simplesmente moda?
A resposta nos parece muito clara, não há como falar em moda quando nos referimos ao Pilates, e sim de uma metodologia revolucionária que provê o que a humanidade busca em dado grau, e que seguirá crescendo por muitos e muitos anos.
Esta conclusão nos conduz a uma outra pergunta:
Como planejar os investimentos no Pilates a longo prazo se queremos eleger o Pilates como carreira ou negócio? Esta pergunta é valida tanto para o profissional da área de movimento ou de saúde, que vislumbra no Pilates o caminho para o seu futuro, como para o empresário, seja de pequeno, médio ou grande porte que quer investir em um negócio da área do Fitness e/ou do Bem-estar.
A grande problemática em torno desta questão se faz presente para quem enxerga o método como uma oportunidade para obtenção de resultados imediatos, o que tem ocorrido com freqüência nos últimos anos – e traz um fator de grande risco que poderá levar o Pilates ao descrédito.Um planejamento que visa essencialmente o resultado em curto prazo, leva à busca de cursos de formação de curta duração com pouco embasamento e escolha dos equipamentos baseando-se em preço em detrimento de qualidade e durabilidade.
Apostando na valorização constante do bem-estar e da busca pelo envelhecimento com saúde e dinamismo, a análise dos investimentos no Pilates que dará bons frutos precisa considerar uma linha de tempo de 10-15 ou 20 anos. Neste sentido, a longevidade da atividade com qualidade e reconhecimento do público estará baseada em investimentos em uma formação sólida, continuada e internacionalmente reconhecida, e em equipamentos que durarão por toda a vida, e um ótimo preço de revenda no mercado de usados no caso de substituição.
Acreditamos que profissionais e empresários inteligentes e competentes que desejam um retorno sólido e durável de verba e tempo investidos saberão a importância do planejamento que pense além do curto prazo e terão um retorno contínuo e crescente com o Pilates.

Método Pilates – Benefícios para a terceira idade
De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde) em seu documento “Envelhecimento ativo: Uma política de saúde”, uma atividade física regular e moderada reduz o risco de morte por problemas cardíacos em 20 a 25% em pessoas com doença do coração diagnosticada, além de reduzir substancialmente a gravidade de deficiências associadas à cardiopatia e outras doenças crônicas.

 
Assim, o Método Pilates estaria enquadrado neste contexto para prevenção primária, secundária e terciária da saúde.
 
O Método Pilates foi idealizado por Joseph Pilates e é um programa completo de condicionamento físico e mental que tem como objetivo melhorar o equilíbrio entre a performance e esforço, através da integração do movimento, a partir do centro estável e sinestesia realçada. Trabalha o corpo como um todo – corrige a postura e realinha a musculatura, desenvolvendo a estabilidade corporal necessária para uma vida mais saudável e longeva (Steers, 2006).
Joseph Pilates juntou os melhores aspectos das disciplinas dos exercícios orientais e ocidentais, e é o equilíbrio desses dois mundos. Do Oriente, Pilates trouxe as filosofias de contemplação, relaxamento e a ligação entre corpo e mente. Do Ocidente, trouxe a ênfase no enrijecimento muscular e a força, a resistência e a intensidade de movimento. Seu método utiliza o corpo inteiro, e não apenas uma parte dele. Usando o corpo inteiro, equilibra-se o uso de grandes músculos superficiais com profundos e pequenos músculos de resistência, responsáveis por manter a força interior(Craig, 2003).
Seus princípios são: relaxamento, concentração, alinhamento, respiração, coordenação e resistência.
Os benefícios deste método são: aumento de força, maior controle muscular, integração corpo e mente, melhora da capacidade respiratória, aumento da flexibilidade, fortalecimento, correção da postura, reestruturação do corpo, prevenção de lesões, aumento da consciência corporal, aumento da auto-estima e alivio de dores musculares (Camarão, 2004).
Pilates considerou a área abdominal em conjunto com os músculos profundos da coluna, bem como os centros de força do corpo, “casa de força” (Powerhouse) que é a área entre as costelas superiores e a pélvis.
Um dos princípios fundamentais do método Pilates é que a “casa de força” é o centro de todo movimento: quanto mais forte a casa de força, mais poderoso e eficiente é o movimento. Portanto, antes de cada exercício de Pilates, um centro é recrutado, empurrando delicadamente o umbigo e contraindo os músculos profundos do abdômen.
O objetivo é manter o centro corporal estável enquanto os movimentos de braços e pernas são executados com precisão.
Os três músculos abdominais (o reto abdominal, os oblíquos externos e internos e o transverso abdominal) trabalham com os músculos da coluna (os mais importantes são os multífidos e o quadrado lombar) para formar o centro de força.
 
Os praticantes do método Pilates também incluem o assoalho pélvico na “casa de força” pela forma que este arranjo de músculos e ligamentos conecta-se ao sistema nervoso central dos músculos profundos abdominais. Localizados na partem de baixo da pélvis, o assoalho pélvico consiste de músculos utilizados para controlar o fluxo da urina e impurezas sólidas do corpo. Fortalecer estes músculos nas pessoas idosas é importante, pois neste período a incontinência urinária e fecal é muito freqüente (Craig, 2004).
Influência na Postura
A postura incorreta faz mais do que diminuir a auto confiança e a dignidade: obstrui a respiração, tensiona os músculos e ligamentos e pode afetar adversamente as articulações da coluna, propensas a artrite, artrose e dor generalizada. As alterações de postura do idoso são: cifose constituída pela cifose dorsal e cervical – a cabeça é projetada para frente e os ombros ficam cronicamente curvados, repuxando apenas os músculos do pescoço; diminuição da curvatura lombar; aumento do ângulo de flexão do joelho e o deslocamento da articulação coxofemoral para trás e a inclinação do tronco para frente.
 
A rigidez articular e muscular que se instala nos idosos será trabalhada através dos exercícios do método Pilates, assim como a tensão em trapézios e paravertebrais que em conjunto com a “casa de força” levará a uma postura mais alongada.
Vários músculos do sistema respiratório estão inseridos nas vértebras lombares e cervicais e nas costelas influenciando a postura. O diafragma é um músculo respiratório que separa o tórax do abdomen.
 
Quando a “casa de força” nos exercícios do método Pilates é acionada através da respiração, o diafragma é trabalhado levando inclusive a um relaxamento e gerando uma postura correta.
Influência na flexibilidade .
Nos exercícios de Pilates os alongamentos são estimulados sempre, levando a uma maior flexibilidade do corpo. Com o envelhecimento, torna-se maior o número de ligações de colágeno intra e intermolecular, o que dificulta o “deslizamento” das proteínas. O tecido fica mais rígido, menos elástico e mais propenso a lesões. Com um estilo de vida pouco ativo, o envelhecimento, a imobilização e as doenças neuromusculares diminuem o tamanho e a quantidade de tecido colágeno. Conseqüentemente, o tecido muscular se enfraquece e a elastina aumenta proporcionalmente. Dessa forma, o tecido combina a elasticidade com a fraqueza.
Uma vida ativa é primordial para manter a homeostase entre a síntese de colágeno e sua degradação.
 
A síntese do colágeno depende da habilidade da célula em transmitir a força mecânica em uma ação bioquímica.
Sabe-se que exercícios de alongamento estimulam a renovação de colágeno para suportar maior estresse. Além disso, melhoram a homeostase entre as glicosaminas e a água, conservam o espaçamento interfibrilas e diminuem as condições favoráveis a formação de adesões (Achour Jr, 2006).
Nos diabetes do idoso as regiões mais limitadas de flexibilidade são as falanges e os ombros.
 
Achour (2006) relata que Jósza& Kannus (1997) revisaram várias pesquisas, evidenciando que os diabetes também afeta o tendão.
Assim, observamos que os exercícios de Pilates ajudam ao idoso com diabetes trabalhando com alongamentos e exercícios de força para melhorar a flexibilidade e a força em ombros e tendões.
Articulações mal alinhadas e frouxas facilitam a instalação de lesões e osteoartroses nos idosos. Há revisões de literatura (Achour Jr, 2006) em que se observou que lesões nos ligamentos colaterais e lesões do menisco associavam-se ao desenvolvimento da osteoartrose em idades prematuras.
Instalada a osteoartrose no joelho e quadril, ela aumenta o custo energético para determinado esforço, dificultando a subida e descida de escadas. Em algumas situações, pode impedir a movimentação até em atividades simples como jardinagem e passeios em parques.
O idoso consegue eliminar a rigidez da osteoartrose e grande parte da dor mediante a pratica contínua de exercícios de Pilates, ativando assim a circulação e diminuindo os espasmos musculares.
É importante para o idoso manter índices de flexibilidade, porque com isso consegue-se interromper a redução natural da flexibilidade. Assim os efeitos dos exercícios de alongamento são positivos independentes do aumento da flexibilidade (Achour Jr, 2006).
Influência na Osteoporose
Na osteoporose há muita fragilidade do esqueleto e maior suscetibilidade à fratura após pequenos traumas, além de dores nas costas devido a contraturas musculares ou por microfraturas e deformidade da coluna com diminuição da altura da pessoa.
Geralmente o fêmur e a coluna são as mais acometidas.
Nos exercícios de Pilates trabalha-se com exercícios de fortalecimento dos músculos envolvidos com estas estruturas e de extensão da coluna visando melhora da força muscular, condicionamento físico e coordenação (Frontera, 2001).
“Se aos 30 anos você está sem flexibilidade e fora de forma, você é um velho. Se aos 60 anos você é flexível e forte, você é um jovem” (Joseph Pilates)
 
Postura é fundamental
A postura adotada ao sentar, tem grande influência no estado apresentado pela pessoa no final do dia. Aquela postura apresentada por grande parte das pessoas, com ombros caídos, pescoço tensionado e coluna arqueada além de não favorecer o visual, faz mal saúde.

A forma de sentar e levantar pode ocasionar fadiga e conseqüentemente maior cansaço ao final do dia, desânimo e às vezes até alteração no rendimento.

Postura é a posição do corpo. Boa postura compreende-se o arranjo harmônico das partes constituintes do corpo, quando este se encontra parado ou em movimento.
Adotar uma boa postura exige cuidados importantes que devem ser adquiridos desde a infância.

A posição comumente adotada por grande parte das pessoas em atividades domésticas, profissionais e de lazer é a posição sentada, essas são mais propensas a sofrer com dores nas costas do que aquelas que se movimentam mais. Portanto, é interessante ficar atento à postura, bem como a cadeira utilizada, que deverá ter o assento firme para não forçar as articulações vertebrais.

A postura correta ao andar é ereta, sem jogar o corpo para os lados ou os ombros para frente. Ao carregar pesos, evite o sobrepeso, distribuindo igualmente o peso para os dois lados.
O método Pilates ajuda a melhorar a postura para evitar o surgimento de desvios de coluna e dores musculares, além de favorecer o realinhamento postural.

O Método Pilates e a Prevenção de Fraturas Osteoporóticas

Sendo o Método Pilates uma proposta de atividade física com finalidades terapêuticas, utiliza-se para a prevenção e/ou tratamento de diversas patologias osteo-mio-articulares (Pires & Sá, 2005) como a osteoartrite (Yakut et alli, 2005) e até mesmo em gestantes (Balogh, 2005).

No caso específico da prevenção de fraturas osteoporóticas, o pilates pode ser indicado por promover o aumento da força muscular, o ganho de flexibilidade, a melhora da coordenação motora, do equilíbrio, da postura, propriocepção e da respiração.

O ganho de força muscular é conquistado através de exercícios resistidos por cargas externas, que podem ser a gravidade, o peso do próprio corpo, as molas dos aparelhos ou as bolas Bobath, solicitados de acordo com a realidade de cada cliente.

O aumento da força auxilia na remodelação óssea, através do estímulo mecânico que a contração muscular imprime aos ossos, promovendo a proteção destes. O fortalecimento, assim como em qualquer modalidade esportiva, é conquistado gradativamente.

O alongamento gradativo dos músculos conquistado com o método promove a diminuição de encurtamentos e tensões musculares localizadas, os quais podem ser responsáveis por alterações posturais significativa e deixar estruturas ósseas mais suscetíveis à forca mecânica.
 
Além disso, o alongamento bem orientado auxilia no reequilíbrio muscular entre os grupos agonistas e antagonistas (Aparício & Perez, 2005).
O estímulo à coordenação motora é constante durante a realização dos exercícios do Método Pilates. Ela é conquistada através da precisão dos movimentos e dos recursos utilizados durante o exercício. O manuseio das molas e bolas, realização de exercícios unilaterais, bilaterais e alternados, exige que o praticante demonstre domínio e, dessa forma, obtem-se trabalhos coordenados (Lange et al, 2000).O manuseio destes equipamentos também impõe ao praticante a necessidade de equilíbrio corporal para a manutenção das posturas em que os exercícios devem ser realizados. Logo, o equilíbrio se torna um dos grandes objetivos do método e um de seus diferenciais (Pires & Sá, 2005).O alongamento axial promovido pelo pilates é importante na prevenção das microfraturas das vértebras, principalmente das torácicas que são as mais acometidas, por diminuir a compressão exercida entre uma vértebra e sua adjacente.
Pela ênfase dada ao trabalho respiratório durante a realização de cada um dos exercícios, o pilates promove a reeducação da respiração e, dessa forma, reduz a tensão e o gasto de energia dos músculos envolvidos no processo respiratório.
Somando-se todos os objetivos almejados pelo pilates, obtem-se o que se caracteriza como uma das filosofias do método, que é a melhora da consciência corporal, isto é, o autoconhecimento, fundamental para a realização de cada um dos movimentos do corpo. Pilates valoriza muito a interação do corpo e da mente para que haja perfeita harmonia e menor gasto de energia durante a realização das atividades da vida diária (Aparício & Perez, 2005).
Sabe-se que toda e qualquer atividade física deve ser adaptada para atender as necessidades do indivíduo com osteoporose e possibilidade de fratura (Forwood, 2000).
 
Com o pilates, deve ser da mesma forma.. Cabe ao instrutor de pilates ter conhecimento a respeito da osteoporose, para que seja possível adaptar os exercícios a necessidade de cada um (Betz, 2005).
A adaptação dos exercícios é feita com base na avaliação física do indivíduo e em seu potencial risco de fratura. Assim é possível determinar a intensidade, freqüência e tipo de exercícios a serem realizados (Betz, 2005).
Portanto, tendo como precauções basicamente as mesmas de outras modalidades esportivas, o pilates pode ser realizado por indivíduos osteoporóticos, como forma de auxílio a prevenção de quedas e melhora da saúde geral.

Como praticar Pilates sem os famosos e caros aparelhos
Talvez você mesma já tenha passado por isso. Poucas pessoas podem se dar ao luxo de ter acesso aos centros de Pilates, por se tratar de uma técnica personalizada, que requer um equipamento especial. É por isso que nos últimos anos surgiram variações do método que, segundo especialistas, apresentam os mesmos resultados. Se você ainda não tentou, agora pode conhecê-los.

Variação sem aparelhos
O Pilates é uma atividade que, por oferecer possibilidades diferentes para cada exercício, permite que pessoas de todo tipo possam praticá-los. É altamente recomendado, inclusive para a terceira idade, já que produz benefícios nas articulações (em caso de artrose). Além disso, previne a osteoporose, protegendo a estrutura óssea. Também não causa lesões, porque os exercícios são realizados sem impacto. São muitos os acessórios utilizados hoje em dia para substituir os aparelhos de Pilates.

Colchonetes, faixas elásticas, bastões, caneleiras, pesos de um quilo, bolas pequenas e grandes de borracha, steps e cordas são os mais utilizados nas academias do mundo.“Os exercícios são os mesmos, com a mesma eficácia, desde que realizados corretamente” assegura a instrutora Solange Rittor, uma defensora dessa técnica que, ao contrário das outras disciplinas, combina força e flexibilidade, modificando a estrutura do músculo sem aumentar seu volume… o objetivo de todas as mulheres, ou não?

Como praticar corretamente
O segredo para que o Pilates cumpra sua verdadeira missão é realizar o máximo de esforço sob uma supervisão correta. Nesse caso, os exercícios sobre colchonetes não se diferem muito daqueles praticados nos aparelhos originais; eles possibilitam a integração do grupo, pois quando são realizados na forma passiva, é possível compensar qualquer falta de capacidade própria (por exemplo, de força ou flexibilidade) com a ajuda de um colega.
Mas os instrutores dão ênfase especial ao fato de que os movimentos e as contrações musculares devem ser feitos com consciência, para que as posturas sejam executadas corretamente.
Também ensinam a levar essa percepção do corpo para a vida cotidiana, alinhando a coluna, contraindo glúteos e ajustando as pernas durante as atividades diárias.
É possível, experimente.
A febre do Pilates
O Pilates, método que integra o corpo e a mente, conquista brasileiros e famosos
Tente visualizar o seu corpo como se fosse uma orquestra sinfônica. Cada músculo corresponde a um instrumento com som e melodia próprios.
Tudo na mais perfeita ordem. Sem que nota alguma soe desafinada, sem que um arranjo grave se sobreponha a um agudo. Assim, a música ecoa de forma agradável e prazerosa.
A analogia serve para explicar um pouco como funciona o método que é a febre mundial do momento. Trata-se do pilates, uma técnica que procura trabalhar músculo, tendão, vértebra e osso de forma harmônica para fazer o corpo funcionar como uma música melódica.
A modalidade desenvolvida pelo alemão Joseph Pilates aportou primeiro nos Estados Unidos, para onde havia se mudado na década de 20, quando abriu seu estúdio em Nova York, atraindo basicamente bailarinos. Hoje, nada menos do que seis milhões de pessoas estão lotando academias de pilates naquele país, segundo dados da Pilates Method Alliance (PMA), organização internacional dos profissionais da área.
E entre seus fãs figuram estrelas do quilate de Madonna, Julia Roberts e Brad Pitt.
É um exército que movimenta uma indústria de US$ 18 bilhão anuais.
Revista IstoéSeção: Boa forma
Pilates é fisioterapia ou condicionamento físico?
Você estava com dor e seu médico indicou Pilates?
Percebeu mudança na postura de alguém por estar fazendo Pilates?
Quer malhar e modelar seu corpo, sem carregar peso repetitivamente?
Possui algum desvio na coluna e sente incomodo ao fazer esforço físico?
Tem interesse em saber com quem ou onde fazer Pilates?
Pilates e Osteoporose
Estima-se que cerca de 15 milhões de brasileiros estarão propensos, este ano, a desenvolver a osteoporose, cujos sintomas mais comuns são as dores nas articulações e nos ossos, que só acontecem depois das fraturas.
Como o Método Pilates pode auxiliar na prevenção e tratamento desta doença?
Osteoporose significa osso poroso.
Um osso que era forte e tornou-se frágil após alterações do metabolismo mineral e aos desequilíbrios nutricionais. Pelo fato de ser assintomática a osteoporose é chamada de Doença Silenciosa. Os principais sintomas são as fraturas, que acontecem em estágios avançados da doença. Os principais locais atingidos são: punho, vértebras, costelas e colo do fêmur.
A deficiência de cálcio e de vitamina D, juntamente com a deficiência estrogênica, são fatores causais muito importantes. O tabagismo, sedentarismo e dietas com alta ingesta de refrigerantes, cafeína, álcool, sódio e açúcar também estão na lista de itens que aumentam o risco de osteoporose.
Medidas preventivas podem ser tomadas desde a infância e adolescência. Esta é a melhor forma de proteção contra o aparecimento da osteoporose. Estratégias incluem equilíbrio nutricional, atividade física moderada e medicamentos apropriados, quando necessário.
Um estudo no qual mulheres idosas foram observadas durante alguns anos, mostrou que as que se exercitaram durante o período tiveram um aumento da massa óssea de 2,3%. Enquanto que as mulheres que permaneceram sedentárias durante esse tempo mostraram uma diminuição de 3,3%.
“A força muscular sobre os ossos constitui o estímulo fundamental para a manutenção e o aumento da massa óssea”Pilates X Osteoporose
Os exercícios físicos para o tratamento da osteoporose devem promover fortalecimento, equilíbrio e coordenação. A massa óssea é relacionada à ação da musculatura sobre o osso, deste modo, exercícios gravitacionais são mais efetivos.
Um programa ideal de atividade física deve ter exercícios aeróbios de baixo impacto, exercícios de fortalecimento muscular e para melhora da propriocepção, a fim de diminuir a incidência de quedas.
Sabendo que é muito importante que esses exercícios sejam realizados com o paciente suportando o seu próprio peso, em função da força que os músculos exercem sobre os ossos da coluna e dos membros inferiores, o PhysicalMind Institute de Nova York desenvolveu o Standing Pilates.
Trata-se de exercícios do Método clássico desenvolvido por Joseph Pilates, adaptados para a posição de pé com a finalidade de aumentar alinhamento postural, desenvolver força, equilíbrio, concentração e aumentar a densidade mineral óssea.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: